São João do Maranhão gera oportunidade de trabalho a mais de 800 pessoas em São Luís

Produto artesanal gerou renda durante o São João do Maranhão (Foto: Divulgação)

A geração de trabalho durante o São João do Maranhão, em São Luís, superou as expectativas e garantiu oportunidade de renda extra para mais de 800 pessoas. Os trabalhos foram temporários, com atividades como a comercialização de produtos nos três principais arraiais promovidos pelo Governo do Estado, em parceria com a Prefeitura de São Luís.

Antes do período festivo, de 19 a 30 de junho, centenas de trabalhadores ajudaram a montar as estruturas dos espaços de apresentações culturais e preparar os demais detalhes da festa.

Durante os 12 dias do São João, os arraiais do Ipem, Praça Maria Aragão e Praça Nauro Machado, foram movimentados por centenas de atrações e, consequentemente, por milhares de pessoas, em busca de diversão e sabores. Foi essa procura que levou os admiradores da festa mais tradicional do Maranhão a consumir, além de cultura, alimentos, bebidas, levar para casa lembranças do São João do Maranhão. Com isso, eles geraram renda a centenas de pequenos empreendedores.

Os números realçam bem o quanto o período foi positivo em relação às oportunidades. Apenas na montagem de barracas, palco, som e luz, decoração, produção, locução, segurança e organização dos espaços, foram gerados mais de 300 postos de trabalho temporário. Nas barracas de comercialização de comidas, bebidas e produtos de artesanato, mais de 500 pessoas trabalharam durante os 12 dias de festejo junino.

O secretário de Estado de Trabalho e da Economia Solidária, Jowberth Alves, pontuou o dado positivo para o Maranhão. “É um período festivo onde o Governo do Estado consegue promover geração de trabalho e renda, o que aquece a economia local. Isso vai além! Aqueles que são atendidos pela política de Economia Solidária, terão oportunidade de comercializar seus produtos nessas praças”.

Venda de comidas típicas foi uma das atividades que gerou renda nos arraiais (Foto: Divulgação)

Para o secretário de Estado de Cultura, Diego Galdino, os postos de trabalho e a geração de renda, oportunizada durante o São João, é um reflexo positivo dos investimentos em cultura, por parte do Governo do Estado. “No período junino, conseguimos fazer centenas de contratações temporárias e oferecer espaços para comercialização de produtos de artesanato e gastronomia. É uma época muito positiva”, comentou.

O secretário municipal de Cultura de São Luís, Marlon Botão, ressalta que as festas juninas, juntam cultura e empreendedorismo nos arraiais de São Luís. “O São João é muito aguardado, pois movimenta a economia criativa e aumenta o espírito empreendedor do produtor maranhense”, destaca.

Inovação

Há mais de 4 anos, Edvânia Arruda, vendedora de comidas típicas, trabalha com a comercialização de alimentos durante o período junino. Ela conta como fez, este ano, para inovar e conseguir uma renda maior. “Além de sempre cuidar muito bem da higiene e apresentação dos produtos, faço um atendimento diferenciado e, este ano, trouxe cortesias e a maquineta de passar cartão de crédito para facilitar as formas de pagamento aos clientes. Com isso, ampliei minha clientela e, consequentemente, minha renda”, afirma.

Mais oportunidades

Além dos arraiais do Ipem e Praça Maria Aragão, o São João do Maranhão aconteceu, também, nos bairros da Cidade Operária, João de Deus, Anil, João Paulo, Liberdade, Anjo da Guarda e Largo de Santo Antônio. Em todos esses bairros, a geração de trabalho e renda esteve presente, com uma média de mais de 300 oportunidades durante os 12 dias de apresentações culturais.

Comentários

Comentários