Ministério do Meio Ambiente e Governo do Estado realizam capacitação para iniciar Programa Água Doce no Maranhão

Capacitação para diagnóstico socioambiental e técnico do Programa Água Doce (PAD). (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade para o consumo humano, o Governo do Estado, por meio do Sistema de Agricultura Familiar (SAF, Agerp, Iterma), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), realizaram nesta última semana (12 e 13/12), no Grand São Luís Hotel, oficina de capacitação para diagnóstico socioambiental e técnico do Programa Água Doce (PAD). No Maranhão o Programa irá instalar 30 sistemas de dessalinização em 20 municípios, beneficiando mais de nove mil pessoas com investimentos na ordem de R$ 9,4 milhões.

O evento teve o objetivo de capacitar as equipes do Núcleo Estadual do PAD e a empresa que foi contratada via licitação, para executar a obra de acordo com a metodologia do Programa. A ação também contou com os gestores municipais, que na oportunidade foram sensibilizados sobre a importância social e ambiental do Programa e, foram convidados para uma gestão compartilhada que resultará no bom funcionamento da tecnologia.

“Este programa está presente nos nove Estados do Nordeste e em Minas Gerais. o Maranhão está iniciando o diagnóstico com esta oficina de capacitação e sensibilização, pois entendemos que não conseguiremos sozinhos. Todos precisam assumir sua parte, a comunidade, o Município, o Estado e o Governo Federal. A gestão precisa ser compartilhada, esse fator é determinante para o sucesso do Programa”, enfatizou o secretário de Estado da Agricultura Familiar- SAF, Júlio César Mendonça.

Segundo o coordenador Nacional do PAD, Renato Ferreira o Programa é destinado para comunidades rurais que tem problemas de água salobras ou salinas nos poços, pois o Programa não prevê a perfuração de poços, são tratados poços preexistentes, o local precisa ter energia e o principal, precisa do envolvimento da comunidade. Até o momento o MMA já instalou mais de 600 sistemas em sete estados.

“O sistema de dessalinização dispõe de tecnologia com sistema de osmose inversa, que é o filtro mais potente que nós temos hoje no mundo. Ou seja, ele não só retira o sal da água, mas tira também bactérias, vírus, metais pesados, agrotóxicos. Dessa forma, nós estaremos oferecendo à população uma água de ótima qualidade e isso tem um impacto grande na saúde das pessoas”, frisou Renato.

No Maranhão o Programa abrange os municípios de Itapecuru, Pirapemas, Água Doce do Maranhão, Araioses, Primeira Cruz, Chapadinha, Codó, Timbiras, Coroatá, Caxias, São João do Sóter, Aldeias Altas, Buriti, Vargem Grande, Tutóia, Santa Quitéria, Duque Bacelar, Afonso Cunha, Timon e Loreto. O público alvo são agricultores familiares, comunidades quilombolas e assentados de programas dos governos Estadual e Federal.

Para o prefeito de Pirapemas Iomar Martins, o PAD ajudará tanto na qualidade de vida das famílias como no desenvolvimento do município. “Esse programa será muito importante para famílias das comunidades do município de Pirapemas, nós temos povoados que sofre com água salgada e salobra. Esse programa será de extrema importância para a qualidade da vida das pessoas e para o desenvolvimento do nosso município”, concluiu.

A capacitação finalizou nesta sexta-feira, 14, com o Dia de Campo para mostrar a aplicação da metodologia do PAD para diagnóstico técnico, social e ambiental. A ação aconteceu no assentamento Mata de São Benedito, no município de Itapecuru – Mirim.

Comentários

Comentários