Atividade Acorda Trabalhador destaca capacitação profissional para conquista de um bom emprego

Palestra do Acorda Trabalhador (Foto: Divulgação)

“Tenho curso de formação de vigilantes, de computação, de armador, carpintaria…”. Josinaldo Cutrim, de 38 anos, elenca os cursos de capacitação que hoje encorpam seu currículo na busca por um emprego e voltar ao mercado de trabalho.

Desempregado há sete meses, o trabalhador conta que além de procurar emprego, se preocupa também em agregar novas formações ao currículo, pensando em ampliar as chances de obter um novo posto de trabalho. “As oportunidades podem surgir a qualquer hora e temos que estar preparados, qualificados para não perder as chances”, comenta.

Tão importante para a conquista da tão sonhada vaga de emprego, a capacitação profissional foi o principal tema do da atividade Acorda Trabalhador, nesta terça-feira (11) na agência do Sistema Nacional de Emprego (Sine) do Centro de São Luís. A atividade é desenvolvida pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado do Trabalho e da Economia Solidária (Setres).

O secretário do Trabalho e da Economia Solidária, Jowberth Alves, ressalta que o desenvolvimento da capacitação dos trabalhadores maranhenses que estão desempregados é uma prioridade do governo. “Muitas vezes encaminhamos os trabalhadores para o mercado de trabalho e constatamos que ele não consegue a vaga por falta de qualificação. Vamos oferecer, até o final do ano, em torno de 10 mil vagas para diversos cursos a fim de garantir que o trabalhador conquiste as vagas oferecidas”, destacou.

Para a pedagoga Rosângela de Lima, do setor de Orientação ao Trabalhador do Sine, a qualificação não deve ser entendida pelo trabalhador como um gasto, mas como investimento que terá um retorno em médio ou curto prazo. “Principalmente para quem está desempregado, a capacitação é importante, uma vez que há a necessidade do profissional se inserir no mercado de trabalho, e uma das formas de ajudar nesse retorno, é se qualificando. Para isso, é importante um investimento e, não um gasto, como alguns podem pensar. Um investimento com grande possibilidade de retorno”, explica.

Josinaldo não pensou duas vezes. Mesmo desempregado, deu um jeito de fazer um curso de formação em vigilante, para ampliar as chances da tão sonhada volta ao mercado. “Não é fácil, mas temos que ‘botar a cara’ pra fazer, porque senão a oportunidade passa e ficamos pra trás”, relata.

Renda própria

Rosângela de Lima destaca que o investimento de recursos e tempo, em capacitação é importante, não apenas para as oportunidades de um emprego formal, mas também para a utilização dos conhecimentos na geração de uma possível renda extra. “Ainda que você, após o curso, não seja imediatamente inserido no mercado de trabalho forma, mas você pode adquirir conhecimento para que gere a sua própria renda”, ressalta.

Acorda Trabalhador

Realizado semanalmente às terças-feiras, o Acorda Trabalhador é voltado ao público que busca atendimento de intermediação de mão de obra e seguro desemprego na agência do Sine Centro. A atividade acontece no salão de atendimento da agência, com duração aproximada de meia hora. Utilizando recursos audiovisuais e subdivida em quatro eixos; acolhida, momento cívico, momento de espiritualidade e reflexão a partir de algum tema específico, a atividade eleva a autoestima e a capacidade reflexiva do trabalhador.

Ação Germinar

O Acorda Trabalhador integra as atividades da Ação Germinar, iniciativa do Sine que objetiva desenvolver ações pontuais, estruturadas de curta duração e de forma sistematizada, proporcionando ao trabalhador um espaço de reflexão sobre as demandas envolvidas no processo de contratação ou de recolocação profissional.

Sine 

O Sistema Nacional de Emprego (Sine) é responsável pela ligação entre as empresas e os trabalhadores que estão à procura de emprego, visando colocar trabalhadores no mercado de trabalho, por meio de vagas captadas junto a empregadores, reduzindo o tempo de espera e a assimetria de informação existente no mercado de trabalho, tanto para o trabalhador quanto para o empregador. O cadastro dos trabalhadores é feito nas agências do órgão, sendo necessária a carteira de identidade, CPF, carteira de trabalho e comprovante de residência.

Comentários

Comentários