SES treina agentes de 10 municípios da região de Pinheiro para captura de morcegos hematófagos

Agentes de endemias da Regional de Pinheiro em treinamento. (Foto: Divulgação)

Agentes de endemias de 10 municípios da Regional de Pinheiro, no norte do estado, estão reunidos até esta sexta-feira (7) para capacitação realizada pelo Departamento de Controle de Zoonoses, da Secretaria de Estado da Saúde (SES). O treinamento é parte das ações vigilância e prevenção da raiva e inclui a captura de morcegos hematófagos em áreas silvestres.

Os morcegos hematófagos, popularmente chamados de morcegos-vampiros, pois se alimentam de sangue, são transmissores da raiva, uma doença animal transmissível ao homem (zoonose). Os animais vivem em bandos e podem formar grandes colônias.

“Na zona urbana, a raiva é transmitida ao homem através de cães e gatos, mas na zona rural o principal transmissor é o morcego-vampiro. A ideia do treinamento é que os municípios tenham agentes treinados para o caso de precisar fazer essa captura, uma forma de dar uma resposta mais rápida quando for necessário”, explica o chefe do Departamento de Controle de Zoonoses da SES, Daniel Soares Saraiva.

O treinamento envolve ensinamentos teóricos e práticos, pois os agentes aprendem a fazer a captura também prática, o que acontece durante a noite/madrugada. Além disso, eles receberam durante a capacitação um kit, contendo roupa especial, redes, pasta vampiricida (veneno à base de anticoagulante) e outros equipamentos necessários.

Segundo Daniel Soares Saraiva, a captura mira apenas os morcegos-vampiros, os do tipo frugívoros (que se alimentam de frutas e insetos) são soltos na natureza, uma vez que não apresentam perigo. “Os hematófagos capturados são soltos após os agentes passarem a pasta vampiricida no dorso deles, que levam o veneno para dentro dos abrigos e passam para os outros pela lambedura”, afirma.

As ações de prevenção do Departamento de Controle de Zoonoses buscam evitar o surgimento da raiva silvestre no Maranhão e estão concentradas, principalmente, nos municípios com áreas de risco ou limítrofes com o Pará, onde houve registros de casos este ano. Agentes de parte da regional de Zé Doca já foram capacitados. Está programado mais treinamentos em Açailândia, Pinheiro e Zé Doca.

Comentários

Comentários