Pacientes assistidos no Caps AD Estadual e Unidade de Acolhimento Adulto participam de cursos profissionalizantes

Pacientes do CAPS AD no Curso de produção em pães e pizzas (Foto: Julyane Galvão)

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realiza, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o 1º Distrito Policial de São Luís, mais uma etapa de cursos profissionalizantes para assistidos na Unidade de Acolhimento Adulto Estadual (UAE) e Centro de Assistência Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD Estadual), em São Luís. Entre aulas teóricas e práticas, o curso de produção de pães e pizzas iniciou, nesta quarta-feira (22), com carga horária de 20 horas, na sede da Unidade de Acolhimento Adulto Estadual.

“É a décima primeira formação que estamos ofertando com a parceria do Senac e do 1º Distrito Policial de São Luís. O nosso trabalho não é somente retirar o usuário das ruas, mas oferecer o tratamento e ajudar na reabilitação social. Assim como no processo de resgate da autoestima e da profissionalização. Esse cuidado ajuda no tratamento e evita que ele abandone ou desista”, destacou o diretor do Caps AD Estadual, Marcelo Costa.

Parceiro da ação, o 1º Distrito Policial de São Luís também enviou representante para acompanhar o primeiro dia do curso. “Essa é uma parte essencial do resgate dos pacientes, que é a ressocialização, para que eles saiam daqui com uma profissão e prontos para serem empregados ou para investir no trabalho autônomo”, disse o delegado Joviano Furtado.

Curso de produção de pães e pizzas começou na quarta-feira e possui carga horária de 20 horas (Foto: Julyane Galvão)

O curso começou com apresentação dos instrumentos de trabalho, ingredientes, tipos de massa e recheios. Ao longo das aulas práticas serão ensinadas receitas, técnicas de cozimento e manuseio das massas. Na ocasião, os alunos receberam o caderno das receitas executadas durante a capacitação.

Antônio Rocha, 42, é um dos alunos da turma. Atualmente ele é assistido na rede estadual de atenção à saúde mental. “Eu cheguei ao fundo do poço com meu vício. Quis me matar – E foi quando me ofereceram ajuda no Caps AD. De lá eu vim para UAE, onde fiquei 30 dias internados. E não é mentira, aqui eu pude renascer. Eu encontrei meu caminho de novo e vim fazer esse curso para recomeçar, mudar de profissão. Um curso do Senac será bem visto, bem aceito no mercado”, contou.

Em tratamento para depressão, Amanda Larissa Lima, 30 anos, participa do curso. “Eu faço tratamento no Caps AD, pois devido ao vício entrei em depressão. Com o acompanhamento me senti mais motivada”, disse. Com o curso, a vendedora de alimentos pretende diversificar os lanches que comercializa.

Comentários

Comentários