Governo dobra investimentos de apoio a startups maranhenses

Com foco na ampliação de oportunidades para o empreendedorismo na área tecnológica, o Governo do Maranhão está investindo R$ 1,65 milhão para aceleração e a encubação de startups no Estado. O valor é o dobro do investido em relação ao último edital, lançado em 2017.

Startups são empresas emergentes que têm como objetivo desenvolver ou aprimorar modelos de negócio em tecnologia. O Programa Inova Maranhão já apoiou a criação de 64 empresas do segmento.

Nesta nova etapa do Programa, a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), lançou edital de fomento com abrangência estadual. Os interessados podem se inscrever para participar da seleção de projetos até o dia 13 de maio, no site da Fapema (www.fapema.br).

O Governo está destinando R$ 1 milhão para a modalidade de incubação de startups; e cada projeto poderá receber até R$ 60 mil. Já para a modalidade de aceleração serão destinados R$ 500 mil, sendo investidos até R$ 100 mil por projeto.

O Programa também destinará R$ 150 mil para implantação de um Comitê Gestor de acompanhamento das ações do Inova Maranhão.

“Este edital de fomento marca um novo processo de gestão do apoio às startups, num formato de acompanhamento mais intenso, uma vez que o governo ampliou o financiamento tanto para a incubação quanto para a aceleração. Também garantimos, dentro o Inova Maranhão, a ampliação de infraestrutura com o Casarão Tech e a cessão de imóveis no Centro Histórico”, explica o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Davi Telles.

Como participar

Os proponentes de projetos de base tecnológica para criação ou fortalecimento de startups, devem estar sediados no Maranhão e ter cadastros atualizados nas plataformas Patronage da Fapema (www.fapema.br/patronage).

Os projetos deverão contemplar pelo menos uma das seguintes linhas estratégicas: saúde e bem-estar do cidadão, educação, inovação na administração pública, logística e indústria, mobilidade e cidades inteligentes, agroindústria e desenvolvimento de cadeias produtivas e tecnologias emergentes.

Comentários

Comentários