Centro Especializado de Reabilitação da Cidade Operária amplia serviços à população do bairro e adjacências

A doméstica Florismar Santos, de 47 anos, diagnosticada com problemas no joelho e ombros, sofria com dores e limitações diárias, situação que aos poucos começa a ser resolvida depois que ela iniciou o tratamento no Centro Especializado de Reabilitação (CER) da Cidade Operária, entregue oficialmente em 30 de abril pelo governador Flávio Dino. Segundo ela, ter acessos aos serviços de fisioterapia e pilates é a certeza de ter qualidade de vida e a continuidade da sua profissão.

“Eu não estava nem conseguindo pentear meu cabelo. Desde que comecei a fisioterapia e o pilates aqui, já consigo. Eu não teria condições de fazer pilates no particular. É muito caro, pesa no orçamento. Se não existisse isso aqui não sei nem como ficaria”, relata a doméstica que iniciou acompanhamento há pouco mais de uma. Moradora do bairro, ela machucou o joelho em uma queda e desenvolveu lesão por esforço repetitivo nos ombros, decorrente da atividade profissional.

A sala de pilates é um dos serviços oferecido no CER Cidade Operária. Os atendimentos acontecem as segundas e quartas no turno vespertino e terças e quintas-feiras no turno matutino, sendo limitado a quatro pessoas por sessão, que dura em média 50 minutos. Os pacientes dispõem de exercícios em quatro aparelhos e solo.

O CER Cidade Operária realiza atendimento especializado para o público adulto e infantil, com três tipos de reabilitação: física, intelectual e auditiva. No setor adulto, a estrutura da unidade dispõe ainda de sala de acolhimento, assistência social, dois consultórios médicos, cinco consultórios multidisciplinares, quatro salas de audiologia e mais seis salas de reabilitação física.

Atendimento infantil 
O setor infantil, por sua vez, dispõe de sala de neuropediatra, estabilização e recuperação, mais duas salas para suporte psicológico e fonoaudiológico, além de um ginásio terapêutico. O serviço conta, ainda, com uma sala de amamentação. A unidade também atende crianças com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

A dona de casa Jose Nogueira, de 37 anos, faz agora o acompanhamento dos filhos gêmeos Otávio e Gabriel, de 9 anos, na unidade. Eles fazem tratamento desde os 6 anos na rede estadual. A mãe mantém a esperança no desenvolvimento dos filhos, principalmente, após conhecer a nova estrutura.

“Quando meus filhos entraram no serviço não falavam, só gesticulavam. Acho que uma semana depois que iniciaram o tratamento, já começaram a falar. Eles evoluíram muito. Todos os profissionais daqui são maravilhosos. Meus filhos são outras pessoas. Com tudo novo, acho que virão só melhoras”, disse a moradora do bairro.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a escolha do bairro para a implantação do novo centro vista ampliar o acesso à saúde. “É fundamental pensar a cidade como um todo e olhar para quem mais precisa. Temos muitos serviços disponibilizados em área de concentração da população, como o Centro, mas a Cidade Operária é muito grande. Quando colocamos serviços aqui, como a UPA e, agora, o CER, temos a certeza de olhar para quem precisa, permitindo que quem mora aqui perto tenha acesso a um serviço de qualidade sem precisa ir para o outro lado da cidade”, ressaltou.

Box//Agendamento
– Comparecer presencialmente à Central de Marcação de Consultas (Cemarc) própria do CER Cidade Operária, localizado na Av. Principal, em frente à UPA da Cidade Operária;
– Apresentar encaminhamento médico expedido pela Unidade Básica de Saúde, Núcleo de Atendimento de Saúde da Família (NASF) ou por serviços da Atenção Especializada (Posto de Saúde, APAE, Centro de Especialidades Médicas, Policlínica) e Atenção Hospitalar Especializada (Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Maranhão, Hospital de Câncer do Maranhão ou maternidades).
– Agendar atendimento, conforme a necessidade e disponibilidade do serviço.

Saiba mais
Professores de pilates esclarece dúvidas

Existe alguma diferença entre o pilates convencional e o do CER?
Pollyanna Lauande – No CER, a diferença é que o foco é o problema de saúde da pessoa, a reabilitação em si. A maioria dos problemas é artrose, hérnia de disco, joelho. Mas acaba que existe um ganho geral com o pilates, pois se trabalha o alongamento e fortalecimento. Fora que a atividade em grupo traz uma melhora grande, é terapêutico também. O CER está democratizando o acesso ao pilates.

Quais os benefícios do pilates?
Pollyanna Lauande – O pilates melhora a postura, a flexibilidade e o fortalecimento muscular. Também trabalha muito com a respiração e concentração. Ensinamos como respirar, isso ajuda a execução dos movimentos e aumenta a capacidade respiratória.

Comentários

Comentários